HomeMercadoADVB-SP realiza Live exemplar sobre Violência contra a Mulher

ADVB-SP realiza Live exemplar sobre Violência contra a Mulher

No início da noite de quarta-feira, 19 de Agosto, o Fórum de Temas Nacionais (FTN) da ADVB realizou encontro virtual para discutir pauta de grande relevância para a sociedade, como um todo.

Com apresentação do presidente da entidade, Aristides de La Plata Cury, coordenação coube a Cristina Calligaris, vice-presidente da ADVB Mulher, coadjuvada pela decana Dalva Christofoletti.

A palestrante Fernanda Herbella encantando a toda audiência presente, e nas redes sociais, compartilhou sua experiência e jovialidade com notável desenvoltura, Ela é Delegada de Polícia, titular da Delegacia do Aeroporto de Congonhas, doutora em Direito pela PUC/SP, professora da Academia de Polícia Civil, graduada pelo National Academy FBI – Federal Bureau of Investigation, e representante da DEATUR no Conselho Estadual de Turismo SP, desde 2014.

“Quando a mulher denuncia, em regra, já vem sofrendo violência há muito tempo”, diz Fernanda Herbella. Acrescenta sinais e evidências do autêntico calvário em que se transforma a vida de milhares de vítimas. Das ofensas verbais e xingamentos, o abuso evolui para tapas e socos. Apanham as esposas, as filhas e o aconchego do lar se transforma num inferno, que persiste enquanto não se denuncia o agressor.

“A violência se expressa de diversas maneiras. Vigiada e cerceada, a mulher perde o direito de usar cartão de crédito, controlar o próprio dinheiro e de se autodeterminar. Perde a autoestima e até mesmo a identidade”, conta. Ao se tornar cada vez mais submissa e impotente, instala-se, de fato, a relação abusiva. E essa situação, no limite, deságua no abominável feminicídio.

Fernanda Herbella lembra que o chamado ‘refúgio do lar’ se desmancha. “O refúgio da casa é onde ela apanha, é desmerecida e desrespeitada. Muito sofrimento, nessa relação em que a violência é recorrente e se incorpora na rotina da vítima”. Não bastasse isso, a mulher também enfrenta a violência do assédio sexual no trabalho. “Isso é muito grave, porque se passa muito tempo, durante a vida, no ambiente de trabalho fora de casa”, acrescenta.

Dra. Fernanda Herbella exibindo seu certificado pela palestra no FTN ADVB.

A palestrante enfatizou que a denúncia é o caminho mais apropriado para combater essa doença social. “O medo de denunciar ainda é forte. No entanto, qualquer pessoa pode denunciar aquilo que a própria vítima não consegue fazer. Além dos telefones 190 e 197, há o 180, que é o canal especializado em violência contra a mulher”, explica.

Fernanda fala da DDM – Delegacia de Defesa da Mulher, criada em 1986. São 140 unidades no Estado e uma das vantagens é que o atendimento é feito de mulher para mulher. “Esse diferencial evita constrangimentos e facilita descrições que envolvem aspectos da intimidade das relações”, acentua.

Agosto é o ‘Mês Lilás’, em tributo à Lei Maria da Penha, sancionada em 07/08/2006. Hoje a LMP inibe a chamada ‘retirada da queixa’. A palestrante frisa que “a impunidade estimula a recorrência”, que os fins de semana em casa, por conta da pandemia, viram crescer os números da violência. “Vizinhos, síndicos – todos têm o dever de denunciar”, enfatiza Fernanda Herbella.

No final, o presidente da ADVB-SP, Aristides Cury, agradece a presença e participação de todos e, em especial, a Associação Pró-Surdo, que contribuiu com a tradução da Live em Libras.

Live na integra do FTN ADVB: Violência Contra a Mulher com a Delegada Fernanda Herbella
RELATED ARTICLES
spot_img
spot_img
spot_img