HomeADVBOs Mil olhos do Consumidor

Os Mil olhos do Consumidor

por Alfredo Duarte

Hoje se comemora no mundo todo o Dia Internacional do Consumidor. Parabéns é pouco!

Hoje é o dia do tapete vermelho, mesmo só imaginado. Hoje é o dia de reconhecer. Hoje é o dia de agradecer. Hoje é o dia do Respeito!

Consumidores são o cerne, o centro de gravidade de qualquer negócio, o único fator da relação de consumo que não pode faltar.

Não é fácil nem desejável, mas pode-se tocar um negócio ou empreendimento por algum tempo mesmo quando faltam paredes e produtos. Consumidores fiéis vão relevar as deficiências de instalações e alguns poderão aguardar a entrega do produto depois.

Mas, se os consumidores não vierem ou forem embora, não tem segunda chance. Pode dar baixa no CNPJ.

Toda essa importância do consumidor, no entanto, não é naturalmente reconhecida. Ainda há mais discurso do que respeito aos direitos elementares desse parceiro indispensável das relações econômicas e sociais. Já aconteceu com você?

Nosso Código de Defesa do Consumidor já tem 27 anos, antes era cada um por si, e vem ajudando a tornar as relações de consumo mais protegidas de práticas míopes que visam “ganhar de”, em vez de “ganhar com”.

O Código pode ser “novo”, mas sua necessidade alcança o berço das práticas de negócios.  A percepção humana de “tirar vantagem” tem um defeito de fábrica que evidencia o ganho de curto prazo e encobre as relações mais sustentáveis e perenes de parceria e interesse compartilhado.

George Herbert, pesquisei no Google, foi um poeta, orador e sacerdote anglo-galês do século XVI. Eu conhecia a frase dele “O comprador precisa de cem olhos; o vendedor de nenhum”.

Cem olhos pode ter sido, por mais de quatrocentos anos, uma boa metáfora para alertar a parte menos profissional das relações de consumo 1.0.

Os tempos são outros e na linha do horizonte já podemos reconhecer consumidores mais conscientes de seu potencial de influência, mais informados sobre opções de consumo, mais capacitados para negociar e avaliar produtos e serviços, enfim, mais preparados para atuar como coprotagonistas nas situações negociais.

O novo consumidor traz em si um olhar mais sensível e também mais preciso, mil vezes capaz de perceber, avaliar, influenciar, compartilhar.

Hoje, 15 de março, é o dia dele. Não desvie o olhar.

Alfredo Duarte, professor da Academia de Vendas ADVB.
alfredoduarte@terra.com.br

RELATED ARTICLES
spot_img
spot_img
spot_img